Festival de Artes Jackson do Pandeiro começa nesta quinta e reúne mais de 400 artistas

Logomarca criada pelo Governo da Paraíba para homenagear os 100 anos de Jackson do Pandeiro

Começa, nesta quinta-feira (25), na Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), em João Pessoa, o Festival de Artes Jackson do Pandeiro. O show de abertura será com o cantor e compositor pernambucano Lenine, às 20h. A entrada é gratuita.

O evento vai até domingo (28), com mais de 60 atrações, em diversas áreas da cultura, como música, teatro, dança, circo, audiovisual, literatura, cultura popular e artes visuais. Durante quatro dias, mais de 400 artistas passarão pelo Espaço Cultural José Lins do Rego, que foi dividido em 13 polos.
Entre os artistas convidados que ocuparão o Polo ‘Sebastiana’ (Palco da Praça do Povo) a baiana Margareth Menezes, que canta no sábado (27) e o paraibano Genival Lacerda, que participa do concerto especial da Orquestra Sinfônica da Paraíba no domingo (28).

Evento será aberto nesta quinta-feira (25), às 9h30, com duas exposições em homenagem a Jackson do Pandeiro seguidas do debate ‘Diálogos Ritmados’. À tarde, terá início uma intervenção em Graffiti com os artistas paraibanos Carlos Nunes, Dedoverde e Tha, do Coletivo Acervo 03. A atividade acontece no Polo ‘A Ordem é Samba’ (estacionamento).

No mesmo local, às 18h40, haverá apresentação de dança com o grupo Supreme Boyz e show de Sinta a Liga Crew. No Polo ‘A Feira’ (Praça do Povo) terá início a Feirinha Criativa, que permanecerá durante todos os dias do evento. Já no Polo ‘Jack Perrin’ (Cine Banguê) será realizada sessão de curtas paraibanos a partir das 18h. A programação completa do evento está disponível no site www.funesc.pb.gov.br.

Lenine homenageia Jackson – Uma das atrações mais esperadas do primeiro dia de festival, Lenine fecha a noite de abertura do evento. Em João Pessoa, o compositor pernambucano vai apresentar um show exclusivo montado especialmente para celebrar o centenário de nascimento de Jackson do Pandeiro.

Lenine e sua banda formada por JR Tostoi, Bruno Giorgi, Pantico Rocha e Guila juntam zabumba, agogô e triângulo às guitarras, baixo e bateria para um mergulho em suas raízes. “Respeito a cultura popular e expressão que estão associadas a esta época e trago toda uma memória afetiva das festas ao som de xote, baião, coco e passeio na roça”, conta Lenine.

“Jack Soul Brasileiro”, foi composta especialmente para o cantor e compositor paraibano considerado um dos maiores ritmistas da história da Música Popular Brasileira. No show, Lenine cantará sucessos de Jackson.

O evento – A programação cultural do Festival de Artes Jackson do Pandeiro abrangerá shows, cortejos, apresentações, performances, intervenções, espetáculos, palestras, exposições, mostras, oficinas, encontros e outras atividades de formação artístico-culturais. Serão quatro dias de atividades intensas concentradas no Espaço Cultural José Lins do Rego. O evento é realizado pelo Governo do Estado através da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc).

Jackson do Pandeiro – Nome artístico de José Gomes Filho, nascido em Alagoa Grande, em 31 de agosto de 1919, e que passou boa parte da vida em Campina Grande. Começou a admirar a música por meio da sua mãe, a cantadora de coco Flora Maia, que colocou o filho para tocar zabumba aos sete anos. Seu primeiro sucesso, “Sebastiana”, na década de 1950, o lançou para o Brasil e para o mundo. Jackson chegou a fazer duetos e parcerias com nomes como Luiz Gonzaga, Edgar Ferreira e Rosil Cavalcanti e ganhou o título de “Rei do Ritmo”. Ele morreu vítima de embolia pulmonar e cerebral em 10 de julho de 1982, aos 62 anos, em Brasília (DF).